28 de janeiro de 2021
  • 21:57 Marinha pagou R$ 533 em lata de chantilly e gastou R$ 128 mil em paçoca
  • 18:55 Bolsonaro, sobre o leite condensado, repete a tática contra jornalistas que usou no caso do depósito de R$ 89 mil de Queiroz para Michelle
  • 17:15 Vídeo: Em claro desespero com o escândalo do leite condensado, Bolsonaro manda imprensa para a puta que pariu
  • 16:13 Em ÁUDIO, empresa nega venda de leite condensado na proporção indicada pelo governo Bolsonaro
  • 15:03 Desesperado, Bolsonaro apela para que caminhoneiros não façam greve na próxima semana

Do vovô ao cachorrinho, todo mundo da família de Adriano da Nóbrega se empregou no gabinete de Flavio Bolsonaro.

Bolsonaro e o seu primogênito, Flávio, foram as pessoas que mais deram Oscar para um dos criminosos mais frios do Brasil, que diziam gostar de matar suas vítimas à facada.

Caveira, como era conhecido pelo seu Escritório do Crime, estava na lista da Interpol, mas não estava na de Moro.

Agora, o super-Ministro da Justiça e Segurança Pública, que passou 5 anos latindo e babando raiva de petistas, está de focinheira colocada pelo seu dono ligado umbilicalmente ao miliciano morto no domingo (9), na Bahia.

Ninguém espera que a família Bolsonaro abra a boca sobre o caso, nem mesmo Eduardo, que estava na Bahia na hora da morte de Adriano, está sendo cobrado pela mídia que dê uma declaração que justifique sua estadia lá durante dois dias.

Mas Moro, que vive agora dependurado no twitter elogiando ações policiais em todo o Brasil em busca de apoio para a sua candidatura, não abrir o bico sobre a ação conjunta entre a polícia carioca e a baiana que culminou na queima de arquivo do personagem principal que liga Bolsonaro à morte de Marielle é, no mínimo, passar recibo de que o Ministro, que defendia total transparência das autoridades públicas contra o PT, aceita e abana o rabinho para a mordaça que lhe impuseram.

 

*Carlos Henrique Machado Freitas

Celeste Silveira

Produtora cultural, parecerista de projetos culturais em âmbito nacional

RELATED ARTICLES

2 COMMENTS

  1. Paulo Souza Posted on 10 de fevereiro de 2020 at 19:40

    O SILENCIO DO desMOROnado não é covarde mas INTENCIONAL, POIS AO RETIRAR O MILICIANO DA LISTA DE PROCURADOS ESTIMULOU A QUEIMA DE ARQUIVO ENQUANTO ESCONDIA SUA IMAGEM DESSA TRAMÓIA…. .#MOROQUEIMARQUIVO

    Reply
  2. José Cesar Pereira Posted on 10 de fevereiro de 2020 at 19:56

    No universo fascista de psicopatas “bozonaristas”, Moro ex-juiz parcial e ministro de Bolsonaro premiado por seus crime contra Lula usa a PF como massa de manobra política para proteger ou matar milicianos, segundo as determinações de Bolsonaro e de seu clã de fascista e psicopatas. É um cão de guarda mas que a qualquer momento poderá atacar seu “dono”. No caso da queima de arquivo expõe sua canalhice e se acovarda. Que saudades dos governos de Lula e Dilma. #NovasEleiçõesJá #ForaBolsonaro #MoroNaCadeia

    Reply
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: