28 de setembro de 2020
  • 22:45 O problema dessa direita provinciana, não é Paulo Freire, é o Brasil
  • 20:52 Vídeo – A vergonhosa mídia de aluguel: Caio Coppola, da CNN, idolatra Bolsonaro e recebe de volta agradecimento público
  • 18:19 Vídeo: No Leblon, arquiteta joga garrafa em mulheres que se beijaram em público e levará um processo
  • 16:43 Vem aí a Ação mundial “Stop Bolsonaro”, dia 11 de outubro
  • 16:14 Bolsonaro é incapaz de governar o Brasil. Este é o novo normal

A morte de Alcebíades Garcia, metralhado durante o carnaval ao chegar em casa, na Barra da Tijuca, pode ter relação com o caso do ex-capitão Adriano Nóbrega, morto há duas semanas na Bahia, numa operação que se suspeita possa ter sido uma queima de arquivo.

Bidi, como era conhecido, travava uma disputa com a filha de seu irmão, o bicheiro Valdomiro Garcia, o “Maninho”. A filha de Maninho, Shanna, tinha Nóbrega, herdado do pai, como um de seus guarda-costas e homem de confiança.

Tio e sobrinha viviam se enfrentando por conta da herança e Alcebíades foi à polícia acusá-la de tomar, na marra, uma fazenda que ocupara e pertencia ao irmão bicheiro.

Maninho era amigo de outro bicheiro, Rogério Andrade, cujo filho, Diogo, morto em 2011, num atentado com explosivos.

Um dos seguranças de Andrade, depois alvo de uma explosão de outra bomba, que lhe custou a perna, era o também ex-PM Ronnie Lessa.

Mas, é claro, tudo é mera coincidência.

 

 

*Fernando Brito/Tijolaço

Celeste Silveira

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: