11 de julho de 2020
  • 20:08 Rede bloqueada pelo Facebook atacava adversários de Bolsonaro nas eleições de 2018 com contas falsas
  • 17:19 Bolsonaro se nega a indenizar profissionais da Saúde incapacitados ou mortos pela Covid-19
  • 15:21 Após decisão do STF, Aras fará devassa na Lava Jato
  • 14:39 Globo se enfurece com a soltura de Queiroz, mas contra o PT aplaudiu a teoria do domínio do fato, a pedalada fiscal e o ato de ofício indeterminado
  • 11:32 Quem pode mais dentro das quatro linhas do judiciário, Moro ou Bolsonaro?

Escrevendo no twitter, possivelmente do Rio das Pedras, palácio da milícia bolsonarista, Eduardo Bolsonaro, vendo que panelaços contra seu pai estão virando epidemia no país, resolveu atacar a China, o maior parceiro comercial do Brasil, acusando os chineses comunistas de espalhar um vírus sobre o qual seu pai não cansa de falar é que inofensivo e que as campanhas de seu próprio Ministério da Saúde não passam de histeria.

O deputado federal Eduardo Bolsonaro escreveu uma mensagem no Twitter responsabilizando o governo chinês pela pandemia do novo coronavírus.

Fazendo uma analogia com o vazamento da usina nuclear soviética de Chernobyl na década de 1980, o parlamentar e filho do presidente Jair Bolsonaro alegou que a China preferiu “esconder algo grave” a se expor “tendo um desgaste que salvaria inúmeras vidas” “Quem assistiu Chernobyl vai entender o que ocorreu.

“Quem assistiu Chernobyl vai entender o que ocorreu. Substitua a usina nuclear pelo coronavírus e a ditadura soviética pela chinesa. Mais uma vez uma ditadura preferiu esconder algo grave a expor tendo desgaste, mas que salvaria inúmeras vidas”, disse.

Substitua a usina nuclear pelo coronavírus e a ditadura soviética pela chinesa. Mais uma vez uma ditadura preferiu esconder algo grave a expor tendo desgaste, mas que salvaria inúmeras vidas”, disse.

Eduardo Bolsonaro finalizou a sua opinião, manifestada em um retuíte com a cronologia da doença e atitudes do país, dizendo que “a culpa é da China e liberdade seria a solução”

Primeiro país a detectar a circulação do novo coronavírus, a China tem agora 80.900 casos registrados, com o total de 3.237 mortes, sendo 11 nas últimas 24 horas. [ x ]

Porém, o contágio foi reduzido drasticamente nas últimas semanas em comparação a meados de fevereiro, quando surgiam milhares de novos infectados a cada dia.

Hoje, pelo segundo dia consecutivo, foi detectado apenas um caso de transmissão local.

https://twitter.com/BolsonaroSP/status/1240286560953815040?s=20

 

 

*Com informações do Uol

 

Celeste Silveira

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: