2 de julho de 2020
  • 18:31 Como Bolsonaro ceifou a vida 60 mil brasileiros, quebrou milhares de empresas e dizimou milhões de empregos
  • 16:24 Por atuar de forma criminosa, advogado ligado a Flávio Bolsonaro é alvo de processo de cassação na OAB
  • 14:09 Bolsonaro diz que projeto de lei sobre fake news não vai vingar e que pode vetar
  • 13:13 Flávio ganhou, Carlos perdeu foro privilegiado e terá investigação acelerada
  • 11:46 O rascunho da queda: Reprovação de Bolsonaro na crise é alta mesmo entre os que recebem auxílio

O ministro da Justiça, Sergio Moro entregou o cargo ao governo Bolsonaro. Moro fará um discurso contundente defendendo a autonomia do seu trabalho, sua carreira na magistratura e criticará a saída de Maurício Valeixo do comando da Polícia Federal.

Os jornais da grande mídia cravam nesta sexta (24) que Sergio Moro já avisou a aliados que anunciará a demissão do cargo de Ministro da Justiça às 11h.

Na Folha, consta que Moro comunicou Bolsonaro pela manhã que “não ficaria no governo com a saída do diretor-geral [da Polícia Federal, Maurício Valeixo], escolhido por Moro para comandar a PF.”

CNN Brasil afirma que ouviu de 3 fontes que Moro já tomou a decisão, porém, haveria movimentações de setores do Planalto tentando apagar o incêndio para evitar o desembarque do ministro.

Também há informações de que Bolsonaro exonerou Valeixo justamente para provocar a saída de Moro. Uma outra corrente acredita que o presidente interveio no comando da Polícia Federal para blindar a família de investigações.

 

 

*Com informações do GGN/O Globo

 

 

 

Celeste Silveira

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: