Categorias
Mundo

Presidente do Irã morre em queda de helicóptero

Além do presidente Ebrahim Raisi, o chanceler do Irã, Hossein Amirabdollahian, também estava no helicóptero e teve a morte confirmada.

Equipes de resgate encontraram o helicóptero onde estava o presidente do Irã, Ebrahim Raisi, 63 anos, na manhã de segunda-feira (20/5), no horário local. A aeronave caiu nesse domingo (19/5), em uma região montanhosa, com forte neblina e de difícil acesso, quando a comitiva presidencial retornava de uma viagem ao Azerbaijão Oriental. Ebrahim não resistiu.

De acordo com a TV estatal do país, não há sobreviventes. Entre as vítimas da tragédia, está o chanceler do Irã, Hossein Amirabdollahian, além de Malek Rahmati, governador da província iraniana do Azerbaijão Oriental; e o líder religioso Hojjatoleslam Al Hashem.

Mais cedo, o presidente da organização de ajuda humanitária Crescente Vermelho, Pir-Hossein Kolivand, informou que as buscas chegaram aos destroços, e que “o estado não era bom”.

Imagem colorida de Ebrahim Raisi dentro de helicóptero - Metrópoles

Quem era o presidente Ebrahim Raisi
Ebrahim Raisi, o 8º presidente do Irã, apresentava-se como um “paladino anticorrupção” e um defensor das classes desfavorecidas. Nascido em 14 de dezembro de 1960 e natural da cidade sagrada de Mashhad, uma das principais cidades religiosas, Ebrahim Raisi, eleito presidente em 2021, era conhecido tanto pela trajetória política quanto pelo papel no sistema Judiciário iraniano.

Criado em uma família religiosa, Raisi começou cedo os estudos no seminário islâmico. Aos 15 anos, mudou-se para Qom, um importante centro de pesquisas teológicas no Irã, onde estudou sob a orientação de destacados clérigos, incluindo o aiatolá Ali Khamenei, que mais tarde se tornaria o líder supremo.

Play Video

A carreira de Raisi no sistema Judiciário iraniano começou nos anos 1980, após a Revolução Islâmica de 1979, que derrubou o xá e instaurou a República Islâmica. Ele ocupou vários cargos importantes, incluindo o de procurador-geral adjunto de Teerã e chefe da Organização Geral de Inspeção.

Contudo, seu papel mais controverso foi como um dos membros do “Comitê da Morte”, em 1988, responsável por execuções em massa de prisioneiros políticos, um episódio amplamente condenado por organizações de direitos humanos.

Nos anos seguintes, Raisi continuou sua ascensão no sistema judicial, tornando-se vice-chefe do Judiciário, em 2004, e procurador-geral do país, em 2014.

Categorias
Mundo

“Informações são preocupantes”, diz oficial sobre queda de helicóptero que transportava presidente do Irã

O mau tempo complica os esforços de resgate, informou a agência de notícias estatal IRNA.

Reuters – Um helicóptero que transportava o presidente iraniano, Ebrahim Raisi, e seu ministro das Relações Exteriores caiu no domingo enquanto cruzava um terreno montanhoso sob forte neblina no caminho de volta de uma visita à fronteira com o Azerbaijão, disse uma autoridade iraniana à Reuters.

O funcionário disse que as vidas de Raisi e do ministro das Relações Exteriores, Hossein Amirabdollahian, estavam “em risco após a queda do helicóptero”. “Ainda estamos esperançosos, mas as informações provenientes do local do acidente são muito preocupantes”, disse o responsável, falando sob condição de anonimato.

O mau tempo complicou os esforços de resgate, informou a agência de notícias estatal IRNA. A TV estatal interrompeu toda a sua programação regular para mostrar as orações realizadas por Raisi em todo o país e, em um canto da tela, a cobertura ao vivo das equipes de resgate que vasculham a área montanhosa a pé sob forte neblina.

Categorias
Mundo

Helicóptero que transportava presidente do Irã sofre queda

As equipes de resgate ainda não localizaram o local do acidente devido às más condições meteorológicas.

Um helicóptero que transportava o presidente do Irã, Ebrahim Raisi, sofreu uma queda em uma região localizada no Azerbaijão Oriental. Equipes de resgate tentam neste momento chegar à cena da queda da aeronave.

Raisi esteve no Azerbaijão na manhã de domingo para inaugurar uma barragem com o presidente do país vizinho, Ilham Aliyev. A barragem é a terceira que as duas nações construíram no rio Aras.

Também estavam na comitiva o ministro das Relações Exteriores do Irã, Hossein Amirabdollahian, o governador da província iraniana do Azerbaijão Oriental e outras autoridades, informou a Agência de Notícias da República Islâmica (IRNA). A organização descreveu a área do pouso forçado como uma “floresta”.

As equipes de resgate ainda não localizaram o local do acidente devido às más condições meteorológicas. Moradores afirmam que, devido à neblina que prevalece na região, é impossível determinar a extensão dos danos sofridos pelo helicóptero.

A mídia iraniana forneceu relatos contraditórios sobre o incidente e ainda não houve confirmação oficial. Nem a IRNA nem a TV estatal divulgaram qualquer informação sobre o estado de Raisi e dos outros passageiros.

* Matéria em atualização

Categorias
Mundo

Qualquer nova “agressão” terá “resposta mais pesada”, diz presidente do Irã

Mais cedo, ministro das Relações Exteriores do país afirmou que o Irã “não hesitará em proteger seus interesses”

O presidente do Irã, Ebrahim Raisi, afirmou neste domigo (14) que qualquer “nova agressão contra os interesses da nação iraniana será recebida com uma resposta mais pesada”. As informações são do canal de notícias estatal iraniano IRIB.

O ministro das Relações Exteriores do país, Hossein Amirabdollahian, fez observações semelhantes numa publicação no X (antigo Twitter), dizendo que o Irã não tem intenção de “continuar as operações defensivas, mas se necessário, não hesitará em proteger os seus interesses legítimos contra qualquer nova agressão”.

“Exercer o direito de defesa legítima mostra a abordagem responsável do Irã à paz e segurança regional e internacional”, acrescentou.

Categorias
Mundo

Presidente do Irã pede que Papa interceda por palestinos

Ebrahim Raisi enviou mensagem ao pontífice por ocasião do Natal.

O presidente do Irã, Ebrahim Raisi, enviou uma mensagem ao papa Francisco por conta do Natal e pediu que ele ajude a “interromper o massacre em Gaza”, onde mais de 20 mil pessoas já morreram desde o início do atual conflito entre Israel e o grupo fundamentalista Hamas, diz o Ópera Mundi.

Segundo o mandatário iraniano, o elevado número de vítimas é resultado da “falta de ação por parte das organizações internacionais”.

“Espero que haja em breve uma iniciativa internacional para acabar com o assassinato de civis inocentes”, disse Raisi para o pontífice.

O presidente do Irã, aliado do Hamas, também desejou “saúde” ao Papa e “prosperidade para todos os seguidores de Jesus Cristo”.