30 de novembro de 2020
  • 23:11 Cai a máscara do cínico: Moro será sócio de consultoria que administra a quebra da Odebrecht e da OAS
  • 20:17 A vitória de pirro da direita
  • 17:22 Por que o Ibope, sem justificativa, cancelou as pesquisas de boca de urna?
  • 15:54 A bela união das esquerdas já vale qualquer resultado
  • 13:18 Globo, que cresceu de braços dados com a ditadura, não aceita Lula por ter afrontado os ditadores

Vejam só como é dura a vida de um procurador vigarista. Dallagnol vai aos microfones da Jovem Pan, numa sofrência patética, dizer que Lula tem que aceitar o regime semiaberto.

Pior, Dallagnol evoca a legalidade, o pensamento civilizatório, o coelhinho da páscoa e o papai Noel.

Tudo pelo Lula livre, logicamente, “em nome da lei”.

É uma espécie de “tejes solto!”.

Mas um episódio como esse oferece uma oportunidade incomum da sociedade observar como funciona a cabeça de alguns operadores da lei nesse país.

Essa turma, que vive vagando pelas salas de audiência e corredores da justiça criminal, como se sabe, tem um pacto com a classe dominante, usando todo o peso do aparelho do Estado para apontar quem é o inimigo da casa grande e quem é aliado.

No caso de Lula, nem a clássica frase “aos meus amigos, tudo, aos meus inimigos, a lei”. Porque para os procuradores da Lava Jato, como Dallagnol, o ex-juiz Moro e os três porquinhos do TRF-4, para Lula, nem a lei.

Para Lula estava reservado o esmagamento moral, dele, do PT e de seus familiares.

O objetivo era claro, usar o aparelho judiciário, associado à Globo, para torturar Lula, atacando-lhe a honra e demonizar tudo o que fazia parte do seu mundo.

Agora, aparece Dallagnol na Jovem Pan cheio de sentimentos republicanos, justamente na hora em que enfrenta o amargo do confronto que os lavajatistas resolveram produzir contra a democracia, contra a economia brasileira, contra os trabalhadores, contra o país, com uma irracionalidade absolutamente desmedida.

Agora vemos uma figura patética, moribunda politicamente, fazendo um apelo pela legalidade para que Lula aceite o regime semiaberto, numa súplica desesperada para reduzir um pouco a pressão cada vez maior que está pesando sobre os ombros de toda a quadrilha da Lava Jato.

 

*Por Carlos Henrique Machado Freitas

Celeste Silveira

RELATED ARTICLES

5 COMMENTS

  1. Luiz Posted on 30 de setembro de 2019 at 16:41

    Agora só está faltando Dallagnol se reunir à Vigília Lula Livre.
    Bem que já desconfiava, mas, depois dessa, se provarem que esse garoto é sano, copiarei Simão Bacamarte do conto machadiano e vou me internar.

    Reply
  2. Pingback: Dallagnol agora ora e faz jejum para Lula aceitar sair da prisão – Brasdangola Blogue
  3. Esmael Posted on 30 de setembro de 2019 at 17:48

    Estes são os Os 4 cavaleiros do apocalipse na Lava jato.
    Bom Dia Presidente Lula
    Boa Tarde Presidente Lula
    Boa Noite Presidente Lula
    Lula Livre.

    Reply
  4. Richard A Posted on 30 de setembro de 2019 at 18:48

    Acho que Lula só quer sair de lá com Dallagnol e Moro presos !! He, he.. Dallagnol e Moro fizeram cacaca e agora estão cágados. Lula é um leão enclausurado.

    Reply
  5. Paulo A. Freire Posted on 1 de outubro de 2019 at 13:08

    Eles querem tirar o Lula da prisão da PF, para com o julgamento do Sitio mada-lo para um presidio comum, o bom pastor fariseu.

    Reply
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: