15 de junho de 2021
  • 22:12 Número de cidades que confirmam manifestações no 19J salta de 74 para 180 em um dia; veja a lista
  • 20:18 A certeza da impunidade de Bolsonaro e de seus filhos escancara a fragilidade das instituições brasileiras
  • 18:48 TCU cria comissão “linha duríssima” para investigar auditor responsável por relatório que questiona mortes por Covid
  • 17:40 Contra a privatização, funcionários da Eletrobras anunciam greve de 72 horas
  • 16:24 Haia, vai decidir se investiga Bolsonaro por crimes contra índios

Esta seria a terceira derrota consecutiva do ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sérgio Moro, acusado de agir com parcialidade no caso.

O decano do Supremo Tribunal Federal (STF), Celso de Mello, sinalizou, nos bastidores, a possibilidade de votar a favor do pedido da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para derrubar a condenação no caso do tríplex do Guarujá.

Esta seria a terceira derrota consecutiva do ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sérgio Moro, acusado de agir com parcialidade no caso.

Os colegas Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski votam a favor. Os ministros Edson Fachin e Cármen Lúcia votaram contra o pedido do ex-presidente.

Integrantes da Corte dizem que o ideal é o julgamento ser retomado apenas quando o voto de Celso de Mello estiver “amadurecido”, já que a definição do resultado deve caber ao decano.

Em agosto, por 3 a 1, a Segunda Turma derrubou a condenação que havia sido imposta ao ex-presidente da Petrobrás e do Banco do Brasil Aldemir Bendine, sob a alegação de que o executivo fora obrigado a entregar sua defesa no mesmo momento em que delatores da Odebrecht apresentaram suas alegações finais, sem poder, assim, rebater as acusações.

À época, pela primeira vez a ministra Cármen Lúcia não acompanhou o relator da Lava Jato, Edson Fachin, no julgamento de casos cruciais da operação na Segunda Turma, conforme levantamento do Estado. A posição de Cármen foi interpretada como sinal de que mesmo magistrados mais favoráveis à Lava Jato poderiam se opor ao que alguns chamam de excessos de juízes e procuradores.

No início deste mês, o plenário também derrubou a condenação do ex-gerente da Petrobrás Marcio de Almeida Ferreira em um caso similar ao de Bendine. Falta ainda definir a tese que pode abrir brecha para a anulação de mais condenações, como a de Lula no caso do sítio de Atibaia.

 

 

*Com informações da Forum/Estadão

Celeste Silveira

Produtora cultural, parecerista de projetos culturais em âmbito nacional

RELATED ARTICLES

4 COMMENTS

  1. afonso Schroeder Posted on 29 de outubro de 2019 at 07:06

    Descumpridor da Constituição/88 e mentiroso ex-juiz e atual ministro “Moro” deve ser afastado de todas funções públicas com seus cúmplices causando danos imensos ao povo brasileiro. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (Lula) comprovado pela “INTERCEPT” 100% inocente deverá ser libertado e anulado os processos indevidos a (Lula).

    Reply
  2. Deusa Mendes Sousa Gonzaga Posted on 16 de dezembro de 2019 at 21:09

    Demorou da justiça ser feita. Inocentar o Presidente Lula e prender o desMOROnado.

    Reply
  3. afonso Schroeder Posted on 4 de janeiro de 2020 at 14:22

    Vemos muita tolerância do (STF) em punir “Moro” o descumpridor da Constituição/88, mentiroso e traidor comprovado pela INTERCEPT, só no Brasil este ex-juiz bandido vira “ministro” vai ficar impune “Moro”?

    Reply
  4. afonso Schroeder Posted on 7 de janeiro de 2020 at 07:07

    Lugar de bandidos é cadeia ou não é mais Bozó? Vemos com quem andas para sabermos quem tu és: Confiamos nas informações da INTERCEPT e no cumprimento da Constituição/88 pelo (STF), “Moro” descumpridor da constituição 88, mentiro e traidor do povo brasileiro cadeia já a Moro.

    Reply
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: