22 de setembro de 2020
  • 18:33 Lula: O que deveria ser o discurso do Brasil na ONU
  • 17:51 Bolsonaro precisa decidir se o Brasil é cristofóbico ou é cristão conservador, os dois não dá
  • 14:02 Fux mostra a que veio
  • 13:01 Opinião unânime no mundo: Bolsonaro envergonha o Brasil na ONU
  • 12:01 Bancos servem a oligarcas, traficantes e terroristas em explosão de lavagem de dinheiro

Usada como polícia política por Moro, PF agora está ocupada em apenas perseguir e tentar intimidar quem na, opinião do ministro mentiroso da justiça, cometeu “delitos de opinião”, como fez com shows de punk rock, mentindo ao  dizer que não foi dele a ordem e, em seguida, foi devidamente desmascarado pelos organizadores do festival, que estamparam nas redes sociais sua assinatura no documento de perseguição política aos promotores do evento.

Agora, sabe-se pela coluna da Mônica Bergamo, na Folha, que a PF, via Moro, recebe ordens do Gabinete de bolsonarista propagador de fake News, mostrando o nível de submissão do capanga de milícia a seus senhores da família Bolsonaro.

Folha:

“A denúncia que originou a investigação contra o evento punk Fest Facada, autorizada pelo ministro Sergio Moro, da Segurança e Justiça, foi feita por Edson Salomão, presidente do Instituto Conservador e um dos organizadores dos protestos do dia 15 de março. O festival critica Jair Bolsonaro.

Salomão é chefe de gabinete do deputado estadual Douglas Garcia (PSL-SP), da tropa de choque bolsonarista e um dos mais próximos de Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente.

O assessor é investigado pelo STF (Supremo Tribunal Federal) por disseminação de fake news e já sofreu mandado de busca e apreensão em sua casa.

“Fiz a denúncia porque as artes de divulgação desse festival são uma clara apologia ao assassinato do presidente da República”, diz Salomão, afirmando que ninguém falou com Moro sobre ela.”

 

*Da redação

Celeste Silveira

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: