4 de dezembro de 2020
  • 21:44 Valor Econômico: PIB per capita deve levar dez anos para voltar ao nível do governo Dilma em 2013
  • 19:50 Youtuber bolsonarista revela acesso a bastidores no Planalto
  • 17:33 Ex-presidente do STF se diz perplexo com manobra da Corte a favor de Maia e Alcolumbre
  • 14:50 Vídeo: Precisamos falar do gabinete do ódio de Ciro Gomes
  • 14:15 Bonner e Renata Vasconcellos são intimados a depor pela polícia do Rio

“Não existe lei que dê base a isso”, afirmou Felipe Santa Cruz.

“Quero entender que benefícios pessoais ‘para não desassistir a família’ foram prometidos como condicionante ao aceite do cargo de ministro. Ou se aceita a nomeação, ou não. Não existe lei que dê base a isso”, escreveu o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Felipe Santa Cruz, em seu twitter. Saiba mais sobre o caso:
Do Migalhas Quentes – Ao anunciar sua saída do ministério da Justiça nesta sexta-feira, 24, Sergio Moro fez uma série de revelações e acusações ao governo.

Entre elas, disse que a única condição que impôs para aceitar o cargo era a garantia de pensão à sua família caso algo lhe acontecesse. “Isso pode ser confirmado por Bolsonaro e pelo general Heleno, destacou.”

Moro destaca que estava deixando sua carreira de 22 anos na magistratura, abandonando, com o ato, como perda de previdência, e que precisava garantir o amparo de sua família.

“Tem uma única condição que eu coloquei – não ia revelar mas agora acho que não faz mais sentido manter segredo. Isso pode ser confirmado tanto pelo presidente como pelo general Heleno. Eu disse que, como estava abandonando 22 dois anos da magistratura – contribui 22 anos para a Previdência e perdia, saindo da magistratura, essa Previdência -, pedi, já que nós íamos ser firmes contra a criminalidade, especialmente a criminalidade organizada, que é muito poderosa, pedi que se algo me acontecesse, que minha família não ficasse desamparada, sem uma pensão. Foi a única condição que eu coloquei para assumir essa posição específica no MJ.”

O ministro desmentiu que teria imposto também como condição uma cadeira no STF. “Nunca houve essa condição. Aceitar um cargo pensando em outro não é da minha natureza.”

 

 

*Com informações do 247

Celeste Silveira

RELATED ARTICLES

4 COMMENTS

  1. Alvaro Figueiredo Posted on 25 de abril de 2020 at 09:31

    Então, serjo moro foi comprado. É isso, produção?

    Reply
  2. chicanjos (@chicanjos1) Posted on 25 de abril de 2020 at 12:13

    corrupção passiva e ele tb prevaricou ao não denunciar bolsonaro por ingerência na PF.

    Reply
  3. chicanjos (@chicanjos1) Posted on 25 de abril de 2020 at 12:14

    ele já é um vendido desde o caso banestado

    Reply
  4. Afonso Schroeder Posted on 26 de abril de 2020 at 06:50

    Falta a verdade toda vemos meias verdades ocultando os atos ilícitos do ex-juiz “Moro” que condenou o ex-presidente (Lula) sem atos ilícitos comprovado pela INTERCEPT clamamos por justiça o Brasil precisa ser passado a limpo cadeia já a Moro.

    Reply
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: