29 de junho de 2022
  • 23:11 Presidente da Caixa deve deixar o cargo já amanhã
  • 18:15 Funcionárias denunciam presidente da Caixa por assédio sexual
  • 17:13 “Em mensagens, Bolsonaro pedia para indicar diretores da Petrobras”, diz ex-presidente da companhia
  • 14:10 Vídeo: pai de Arthur Lira xinga plateia em evento com presença de Bolsonaro: “filha da p*ta”
  • 12:29 Casamento de Elba Ramalho com Nelson Piquet dá jacaré do papo amarelo

A covardia é marcada por duas vertentes, ausência de coragem e a violência contra o mais fraco. Essa é a principal característica de dois personagens famosos, Bolsonaro e Moro.

Medo, qualquer ser humano sente, covardia, somente os de mau-caráter. Geralmente vivem de desculpas em desculpas tentando legitimar suas ações covardes. Simulam atitudes e, quando são desmascarados, revelam-se mentirosos expondo ainda mais o caráter que têm.

Bolsonaro, em 2018, armou a farsa da facada por dois motivos, o primeiro, por pura covardia, o de enfrentar os debates. O segundo, é porque já sabia, num combinado com Sergio Moro, que Lula, que tinha tudo para vencer a eleição no primeiro turno, seria preso por Moro em troca de um ministério.

Hoje, quando se abre o twitter, vê-se que entre os assuntos mais comentados, estão Bolsonaro e Moro, mas nenhum dos comentários é por virtude dos dois, mas por covardia que caracteriza a personalidade de ambos.

A arregada que Bolsonaro deu para o presidente da Anvisa, Barra Torres, é a mais comentada por ser o mais recente episódio de arrego de uma lista infinita, tanto que mereceu de um militar de alta patente de seu governo um veredito, “Bolsonaro, na hora H, sempre põe o galho dentro”.

Já no caso de Moro, não há como esquecer de Lula comendo seu fígado no dia do seu depoimento em que ex-juiz corrupto da Lava Jato ficou totalmente acovardado.

Soma-se a isso uma proposta da jornalista Mara Luchesi feita a Moro para debater com Ciro Gomes, debate em que ela seria a mediadora. Mas Moro,  mostrando-se desesperado, atacou Ciro, e disse que não aceitaria porque Ciro é agressivo.

Para fortalecer ainda mais a sua imagem de covarde, Moro se acovardou quando o grupo Prerrogativas fez a ele um convite público para um debate honesto e transparente sobre o sistema de justiça. Moro, além de não aceitar, por ser um medroso, repetiu a receita, a de atacar quem o convidou, sublinhando sua personalidade típica de um covarde.

O mais interessante de toda essa história, é que esses dois covardes, Bolsonaro e Moro, se venderam como baluartes da luta pelo fim da impunidade com bravura e valentia, no entanto, os dois, agora, comportam-se como ratos amedrontados sendo motivo de chacota e protesto por conta de suas atitudes covardes.

Siga-nos no Telegram

Caros Leitores, precisamos de um pouco mais de sua atenção

Nossos apoiadores estão sendo fundamentais para seguirmos nosso trabalho. Leitores, na medida de suas possibilidades, têm contribuído de forma decisiva para isso. Agradecemos aos que formam essa comunidade e convidamos todos que possam a fortalecer essa corrente progressista. Seu apoio é fundamental nesse momento crítico que o país atravessa para continuarmos nossa labuta diária para trazer informação de qualidade e independência.

Apoie o Antropofagista com qualquer valor acima de R$ 1,00

Caixa Econômica

Agência: 0197
Operação: 1288
Poupança: 772850953-6

PIX: 45013993768

Agradecemos imensamente a sua contribuição

Carlos Henrique Machado

Compositor, bandolinista e pesquisador da música brasileira

RELATED ARTICLES

1 COMMENTS

  1. Afonso Schroeder Posted on 14 de janeiro de 2022 at 17:13

    Bozó e ex-juiz Moro criminosos comprovados pela CPI e pelo repórter Glenn E. Greenwald e o advogado Cristiano Zanin Martins porque continuam impunes estes dois reincidentes do crime onde esta a justiça brasileira? Lamentável ver criminosos candidatos a cargo eletivo ate quando?

    Reply
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: