29 de outubro de 2020
  • 09:50 XP-Ipesp: Boulos cresce, empata com Russomanno e pode ir para o segundo turno
  • 20:55 Após cair nas pesquisas, Russomanno tira Bolsonaro de jingle
  • 18:08 Hacker de Moro tem acervo de conversas inéditas da Lava Jato e tenta fechar delação premiada
  • 17:27 Aécio fala em punição a quem não tomar vacina e bolsonaristas espinafram o ex-ídolo nas redes
  • 15:44 Bolsa derrete e dólar dispara. Este é o resultado das políticas adotadas por Guedes e Bolsonaro

Foi o próprio Dallagnol quem disse que Moro estava fazendo corpo mole no caso do Flávio Bolsonaro, até porque, certamente, como disse Dallagnol, chegaria em Jair Bolsonaro.

Lógico que Dallagnol sabe que, na verdade, Flávio Bolsonaro é apenas um preposto do próprio pai, fato que a grande mídia faz de conta que não sabe.

Na realidade, originalmente, não é o Flávio o amigo de Queiroz, o miliciano de Rio das Pedras que controlava o laranjal do clã. Queiroz é o grande parceiro de negócios de Bolsonaro muito antes de Flávio ser político. Ou seja, é o braço direito de Bolsonaro, homem de sua inteira confiança.

A transação do cheque de Queiroz recebido por Michelle escancara isso. como também escancara a proteção de Moro a Queiroz que aceitou como verdade aquela desculpa fajuta de Bolsonaro de que o valor de R$ 24 mil descrito no cheque tratava-se de pagamento de um empréstimo, coisa que foi imediatamente endossada por Moro.

E por que isso? Porque Moro, mais do que ninguém, sabe que Queiroz é o homem chave do caso, envolvendo milícia, corrupção ativa e passiva, quiçá tráfico de drogas, já que foi encontrada no avião presidencial, na comitiva de Bolsonaro, a quantidade de 39kg de cocaína.

Tudo isso é o que sabemos e, facilmente, montamos um quebra-cabeça, fora o que ainda não veio à luz e, com certeza, é uma sujeira muito maior. Moro pode ser tudo, menos tolo. Ele tem uma personalidade detalhista e, como vem mostrando o Intercept, ele coordena com rédea curta a acusação de seus adversários, como Lula e protege como um cão de guarda seus aliados, como foi com FHC.

Trocando em miúdos, temos que mudar a concepção de que Queiroz está desaparecido, ele está protegido com seus segredos a sete chaves por Moro. E é esse o seu trunfo que por hora, joga a favor de Bolsonaro, mas, dependendo das circunstâncias, Moro pode jogar as cartas na mesa contra o patrão.

 

*Por Carlos Henrique Machado Freitas

Celeste Silveira

RELATED ARTICLES

1 COMMENTS

  1. Antonio Ubirajara Da Silva Posted on 23 de julho de 2019 at 00:02

    Belíssima reportagem dessa jornalista. Parabéns! Eu só quero dizer uma coisa, a situação do ex-juiz Sérgio Moro está ficando cada vez mais complicada. Está ficando insustentável! Ele não pára de cometer crimes. De herói nacional e paladino da moralidade, Moro passou a ser considerado, o maior corrupto, e o maior criminoso deste país. Ele age sempre ao arrepio da Lei, em conluio com Procuradores da Lava Jato, e condenando sem prova material uns e protegendo outros. Esse sujeito tem religião? Ele não é católico, nem evangélico. Ele é Satânico!!! Num país sério, esse sujeito já estaria na Cadeia!!! (Poeta nordestino, de Sousa, no Sertão da Paraíba)

    Reply
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: