2 de dezembro de 2020
  • 21:14 Brasil tem explosão de casos de contaminação por Covid-19; mais de 50 mil em 24 horas
  • 18:00 Governo Bolsonaro gastou 85% do dinheiro direcionado para o combate à pandemia
  • 17:05 Carol Proner: Sergio Moro é sinônimo de traição nacional
  • 15:24 Está na hora de perguntar quem ganhou e quem perdeu com a organização criminosa Lava Jato
  • 11:55 Vídeo: Moro, depois de destruir o Brasil, vai gozar a vida em Washington

Um dia depois, cronometrado no relógio, que Bolsonaro fez aquele papel humilhante de rapapé dos EUA na ONU como jamais se viu na tribuna das Nações Unidas, deputados americanos querem que Trump suspenda todo apoio militar e policial ao governo de Jair Bolsonaro, pelo número de “mortes injustificadas promovidas por agentes de segurança brasileiros”. Grupo também defende suspensão de financiamento de projetos que agridam a Amazônia.

Na sua inferioridade mental, Bolsonaro, que não mediu esforços para lamber as botas de Trump depois de sua fala lacaia aos EUA, não poderia imaginar que, no dia seguinte ao seu discurso, sentiria na pele o que Lula fala neste vídeo abaixo, e que o mundo lhe reservaria muito mais do que o ostracismo, mas o repúdio e a sugestão dos próprios deputados americanos de reagir fortemente contra o discurso beligerante e as práticas criminosas do bolsonarismo como um todo no Brasil.

Lógico que esta posição dos deputados atinge também outro alvo elogiado por Bolsonaro na ONU, que também adora servir de capacho dos EUA, o Ministro Sergio Moro, já que seu projeto anticrime é tão letal para os pobres quanto a política de extermínio de Wilson Witzel, saída do ovo fascista do bolsonarismo.

De nada valeu aquela histeria humilhante de Bolsonaro na tribuna da ONU bolada por seus assessores e pelo próprio em que lambia o chão dos americanos e atacava o resto do mundo, pois foi justamente dos EUA que veio o primeiro tiro de canhão em seu imaginoso apoio a seu governo, somando ainda mais pontos para a sua decadência política prematura, já que está há apenas nove meses no governo e conseguiu esculpir um repúdio, interno e externo, de sua imagem jamais vista neste mesmo tempo de um presidente brasileiro.

Com isso, Bolsonaro vai se tornando uma fúnebre caricatura de pedra venerada somente por seus robôs e por 12% de brasileiros velhos, brancos e amargos que veem na figura falida de Bolsonaro sua própria feição.

Grande dia!

 

*Por Carlos Henrique Machado Freitas

Celeste Silveira

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: