9 de janeiro de 2022
  • 21:41 Presidente da Anvisa reage a críticas de Bolsonaro e quer retratação
  • 20:50 Vídeo: Allan dos Santos, foragido da Justiça brasileira, aparece em evento conservador em Orlando
  • 16:51 Quando as diferenças aparecem
  • 14:50 Vídeo: Paredão de cânion em Capitólio (MG) desmorona sobre lanchas; 1 morte confirmada e 15 feridos com gravidade
  • 12:56 Sindicalista: “Governo só beneficia servidores pró-Bolsonaro”

Não dá para economizar no termo para o que está acontecendo na guerra dentro do PSL entre a ala que apoia Bolsonaro e a que é contra. É baixaria em estado puro, como se vê nessa troca de insultos de baixo nível entre Carluxo e Joice.

A questão todos sabem, é o milionário fundo partidário. Esse é o governo da nova política que, resumindo na seca, pode-se dizer, sem medo de errar, que é o que existe de mais corrupto na história da república e de forma desavergonhada ao sol do meio-dia, sem que haja qualquer constrangimento de nenhuma das partes para se descer tão fundo nos verbos utilizados.

Se fosse no PT, essa briga encheria os jornais não com artigos de fundo ou tirinhas como tem ocorrido na grande mídia, a coisa tomaria a vida dos colunistas durante o ano. Não haveria folha de papel capaz de segurar tantas tintas contra Lula, Dilma e o PT para se criar um ambiente de destituição do governo por justa causa. Mas como é Bolsonaro que tem a alma feita da mesma argila neoliberal dos jornalões e revistonas, o destino de um absurdo desse fica no julgamento subvertido a um folhetim qualquer não à coisa séria que é.

Quem começou com os ataques nucleares foi o Carluxo, o chefe da guarda digital do pai. Carluxo postou uma sequência de imagens que continha um porco, um rato, uma cobra, uma galinha e uma lula. Sentido-se ofendida com a mensagem, Hasselmann respondeu publicando uma mensagem com três veados e três ratos.

A deputada está na ala do PSL que se voltou contra Bolsonaro e seus filhos, ficando do lado do grupo que defende o presidente do partido Luciano Bivar. A atitude da parlamentar fez com que ela perdesse o cargo de líder do governo na Câmara dos Deputados. Por sua vez, os caciques do partido tiraram dos filhos de Bolsonaro a presidência dos diretórios regionais de São Paulo e do Rio de Janeiro. Ou seja, ainda tem muitas reviravoltas nessa política de bueiro que a grande mídia, certamente, colocará apenas como um incômodo para o governo atual, assistindo a tudo de camarote, sem dar manchetes para essa barbaridade.

https://twitter.com/pirescarol/status/1185999868155834371?s=20

 

*Da redação

 

 

Celeste Silveira

Produtora cultural

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: