17 de setembro de 2021
  • 20:03 Datafolha: Rejeição de evangélicos a Bolsonaro cresce e chega a 41%
  • 19:18 Vídeo: Zé Dirceu e Mourão convergem num ponto, garantir a posse de Lula, caso seja eleito
  • 18:57 Estudantes, gays, jovens e negros são os que mais rejeitam Bolsonaro
  • 17:25 Datafolha: Reprovação de Bolsonaro bate novo recorde
  • 16:39 Como Bolsonaro é sinônimo de crise e resultados de pesquisas só pioram, XP muda data de divulgação

A mesma Globo que banca a promotora de Bolsonaro no genocídio promovido por ele, é quem defende o ex-juiz que, em acordo espúrio com o mesmo Bolsonaro, condenou e prendeu Lula para o genocida se eleger e recompensá-lo.

Essa relação que o mundo inteiro escancarou e que também foi denunciada pelo excelente artigo do Le Monde que expôs as vísceras do lavajatismo, é absolutamente apagada de qualquer narrativa da Globo sobre o genocídio, o genocida e quem o colocou na cadeira da presidência.

Lógico que essa narrativa forçada tem um único objetivo, insistir na condenação de Lula e tirá-lo da eleição, agora, de 2022, como foi feito em 2018, mesmo sabendo que jamais Moro apresentou prova de qualquer delito de Lula.

Assim, a orientação do jornalismo da Globo é focar na salvação de Moro, o que consequentemente significa a condenação política de Lula, tendo o STF como fiel da balança, seja no caso do HC de Fachin ou na Segunda Turma que votou pela suspeição de Moro.

O problema maior que está posto, inclusive na matéria do Le Monde que a Globo faz questão de censurar, é que os Marinho e Moro se confundem nessa trama macabra, assim como a Globo.

Se o STF mudar o seu entendimento para atender a Merval e cia, estará salvando não somente Moro, mas a reputação da Globo, sócia do ex-juiz que colocou o genocida no poder. E é nessa emboscada que a própria Globo se meteu tentando criar uma narrativa sobre Bolsonaro a partir dele próprio e não por uma trama criminosa que envolveu uma recompensa ao juiz corrupto.

Claro que, tanto por Merval quanto pelo editorial de O Globo de hoje, essa trama é absolutamente esquecida, pois querem construir Moro a partir de Moro e Bolsonaro a partir de Bolsonaro quando, na verdade, a tragédia brasileira que já matou 360 mil brasileiros, começa efetivamente com o golpe em Dilma, com a participação efetiva da Lava Jato, até a chegada de Bolsonaro ao poder em que a Lava Jato foi tão direta que o juiz corrupto, protegido pela Globo, recebeu uma espécie de prêmio Faz Diferença de Bolsonaro com a pasta da Justiça e Segurança Pública.

A decisão será do STF se aceitará ou não ser pautado pela redação da Globo.

*Carlos Henrique Machado Freitas

Siga-nos no Whatsapp: https://chat.whatsapp.com/H61txRpTVWc7W7yyCu0frt

Apoie o Antropofagista com qualquer valor acima de R$ 1,00

Caixa Econômica: Agência 0197
Operação: 013
Poupança: 56322-0
Arlinda Celeste Alves da Silveira
CPF: 450.139.937-68

PIX: 45013993768
Agradecemos imensamente a sua contribuição

Celeste Silveira

Produtora cultural

RELATED ARTICLES

2 COMMENTS

  1. Magda ferreira santos Posted on 13 de abril de 2021 at 14:30

    UMA VEZ GLOBOSTA SEMPRE GLOBOSTA, UMA VEZ MERDAL SEMPRE MERDAL!!!

    Reply
  2. Afonso Schroeder Posted on 13 de abril de 2021 at 15:02

    TVs esta mais que na hora de ventilar estes dois comparsas “ex-juiz-Moro e Bozó” são amigos-cumplices, criminosos reincidentes descumpridores da CF/88, mentirosos, justiceiros da justiça devem ir pra cadeia com urgência são fascistas, genocidas ex-juiz Moro/Bozó”.

    Reply
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: