12 de abril de 2021
  • 21:23 Senador Kajuru grava conversa com Bolsonaro que revela que ele quer derrubar ministro do STF
  • 17:30 Vídeo: Globo e Merval, as últimas carpideiras da Lava Jato
  • 16:56 A cômica lambança do bolsonarista Cajuru no seu pedido da CPI da covid contra Bolsonaro
  • 14:10 Em função do orçamento, mercado calcula risco de impeachment de Bolsonaro
  • 12:55 A mídia insiste em sustentar uma farsa para se blindar da acusação de ser parte da tragédia

Não impressiona o que foi revelado neste domingo (7) pela Folha e Intercept, que ajuda a desancar a imagem heroica de Moro criada pela Globo.

Pelo que foi divulgado, só reforça ainda mais o que está sendo dito por vários jornais internacionais, que a Lava Jato age como um esquadrão da morte. Também não há nada de surpreendente nisso, somente sublinha a afinidade ideológica de Moro com Bolsonaro, que sempre fez questão de exaltar as milícias, ditadores, torturadores e grupos de extermínio.

Se amanhã surgir alguma mensagem de Moro sugerindo o aniquilamento ou a decapitação de prisioneiros nessa troca de conversas ocultas com os procuradores da Força-tarefa, também não impressionaria mais ninguém, afinal, a cena animalesca a que o Brasil assistiu há pouco tempo em uma das operações da Lava Jato, a de Sergio Cabral sendo conduzido acorrentado pelos e pés e mãos, faz lembrar as práticas do Estado Islâmico e revela que não há obstáculos éticos ou legais para a tropa de Moro.

O que surgiu hoje a respeito do vazamento de dados secretos sobre a Venezuela ordenado por Moro escancara que ele tem um satânico prazer de praticar o mal pelo mal, uma tara venenosa sem qualquer decência moral para incentivar conflitos e, por consequência, produzir mortes.

Nesse modus operandi de Moro há muito do Marquês de Sade. O que parece mesmo  é que a maldade lhe dá o sabor da vitória. Moro parece necessitar de uma focinheira que limite os ataques promovidos por sua raiva, sempre feitos no escuro.

No período em que corria o processo do golpe do impeachment em Dilma, Moro vazava para a Globo e também para a Veja, alguma delação feita dentro do laboratório da força-tarefa pelos próprios procuradores.

Essa simplicidade de raciocínio, resultante de uma conjugação de forças, dentro e fora da Lava Jato, não se limitou ao golpe em Dilma e à prisão de Lula. O imprevisível no caso, foi a solidariedade de Moro e os procuradores da força-tarefa com os golpistas da Venezuela, o que faz parecer que o crime se transformou num vício para a república de Curitiba.

 

*Por Carlos Henrique Machado Freitas

 

Celeste Silveira

Produtora cultural, parecerista de projetos culturais em âmbito nacional

RELATED ARTICLES

3 COMMENTS

  1. Pingback: Qual o limite de Moro para praticar o mal pelo mal? – Antropofagista | O LADO ESCURO DA LUA
  2. Aressa Rios Posted on 7 de julho de 2019 at 19:59

    Este blog é maravilhoso! Está de hora em hora atualizando as notícias, conseguindo nos manter informados de tudo o que acontece, de forma clara, objetiva e esclarecedora, como pude observar em pouquíssimos blogs de notícias. É impressionante o volume de informações que produzem diariamente, estão de parabéns! Se realmente quiserem saber dos últimos acontecimentos, super recomento este blog!!!! Nota 1000 para os autores, notícias super bem escritas! Esse é o meu canal de informação preferido!!!!

    Reply
    1. Celeste Silveira Posted on 7 de julho de 2019 at 21:41

      Muito obrigada Aressa Rios.

      Reply
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: