18 de setembro de 2021
  • 14:13 ‘Gabinete paralelo’ tinha ligação com Prevent Senior, diz documento
  • 12:11 Governo Bolsonaro é criticado pela ONU por esvaziar proposta contra vigilância ilegal
  • 10:15 Ana Paula do Vôlei, a bela bruxa da maçã envenenada
  • 09:12 Fachin cobra de Aras nova manifestação sobre denúncia contra Arthur Lira
  • 21:13 Técnicos do Ministério da Saúde ameaçam renúncia coletiva se Bolsonaro não recuar na vacinação de adolescentes

“Eu vou implodir o presidente. Aí eu mostro a gravação dele.”

A pergunta é: a que gravação o deputado Delegado Waldir se refere?  Parece que o delegado tem um áudio comprometedor como carta na manga contra Bolsonaro.

O Brasil já sabe que a cria de Bolsonaro no PSL não é coesa e nem poderia ser. Ali não vingou ninguém com a mínima sombra de ética ou fidelidade, sequer algo que se pareça com decência.

Essa quantidade de políticos se digladiando dentro do partido é o laboratório daquilo que eles fizeram, unidos, na eleição para se elegerem e, na sequência, elegerem Bolsonaro. Ou seja, todos sabem tudo de todos ou quase tudo.

O fato é que o Delegado Waldir ameaçou Bolsonaro com a gravação como uma bala de prata saída da garrucha que carrega na cintura. Como não foi contestado por ninguém na hora em que chamou Bolsonaro de Vagabundo, é porque ele tem razão nas duas coisas, melhor dizendo, ele tem bala para dizer o que disse.

Seja como for, nunca a pintura do Brasil submundo floresceu tanto dentro da república. Primeiro, porque foi transplantada a milícia para dentro do governo, em quantidade e qualidade. Segundo, porque o baixo clero, substituindo o PSDB, mostra a escultura grega que os próprios tucanos esculpiram contra si e contra o país no golpe de Estado contra Dilma e na mexida dos pauzinhos filiando-se à Lava Jato na prisão de Lula.

Na realidade, Bolsonaro está diante de um impasse, depois que, certamente ouviu a gravação com a ameaça do Delegado Waldir, e não tem saída ou é fim de carreira. Se responder com ênfase à tal ameaça, corre o risco de levar um bate pronto na lata. Se vacilar, sua frouxidão o colocará numa condição de submito, subpresidente e subvalentão, o que antecipa e muito sua morte política.

 

*Carlos Henrique Machado Freitas

Celeste Silveira

Produtora cultural

RELATED ARTICLES

1 COMMENTS

  1. Magda ferreira santos Posted on 30 de abril de 2021 at 11:05

    ENTÃO NÃO SE IGUALE E MOSTRE DE UMA VEZ O TAL AUDIO! NÃO QUEIRA FAZER POSE DE COWBOY SENDO UM COVARDE!!

    Reply
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: